Concurso INSS é solicitado com 7.575 vagas. Veja distribuição!

Novo concurso INSS é solicitado ao Ministério da Economia, com 7.575 vagas, e traz mudança de escolaridade do técnico, de nível médio.
BIT | Cursos Profissionalizantes | Serra/ES - HOME

Folha Dirigida teve acesso ao pedido de concurso INSS enviado ao Ministério da Economia. Ao todo, o Instituto Nacional do Seguro Social solicita o preenchimento de 7.575 vagas, sendo 6.004 para técnicos e 1.571 para analistas.

O pedido confirma que a autarquia revisou o quantitativo que seria solicitado, passando de 10 mil vagas para as atuais 7.575. A solicitação feita à Economia considera o número de cargos vagos e a necessidade de recomposição do quadro permanente do INSS.

Uma das principais mudanças no pedido enviado ao ME diz respeito à escolaridade do cargo de técnico do seguro social. Conforme o ofício, a carreira deverá ter o nível superior, em qualquer área, como requisito e não mais o nível médio.

Segundo fontes da Folha Dirigida ligadas à autarquia, essa possibilidade foi levantada, mas ainda não foi definida.

 

Confira abaixo o pedido de concurso INSS e os ganhos para os futuros aprovados

Cargo Analista do seguro social – R$8.357,07

  • áreas: Serviço Social (463 vagas), Reabilitação Profissional (702) e Recomposição do Quadro de Aposentados até 2023 (406).

Cargo Técnico do seguro social – R$5.447,78

  • áreas: Análise Reconhecimento de Direito RGPS (2.938 vagas), Combate à Fraude (734), Serviço de Apoio ao Reconhecimento de Direito (216), Serviço de Atendimento de Demandas Judiciais (40), Serviço de Cobrança Administrativa (34), Análise Reconhecimento de Direito RPPS (46) e Recomposição do Quadro de Aposentados até 2023 (1.996).
Concurso INSS é solicitado (Foto: Victor Soares)
Concurso INSS é solicitado (Foto: Victor Soares)

 

“Estamos otimistas por autorização”, diz presidente

O presidente do Instituto Nacional do Seguro Social, Leonardo Rolim, está otimista pela autorização do novo concurso INSS.

Em entrevista à CBN, no dia 1º de junho, Rolim destacou a urgência para a realização do concurso público, com vagas efetivas.

“Vamos precisar, sim, fazer o concurso para substituir temporários e servidores que estão se aposentando. Estamos bem otimistas que teremos a autorização”, disse.

De acordo com Leonardo Rolim, no curto prazo, a necessidade maior é em relação aos 3 mil temporários que terminarão seus contratos no final de 2021 e aos aposentados dos últimos anos. Há ainda a perspectiva de saídas futuras.

“É um número que, a cada ano, vai tendo uma nova demanda por conta das aposentadorias. O INSS tem um percentual razoável de servidores que já está em abono de permanência, ou seja, que já está em condições de se aposentar. Isso faz com que haja uma preocupação de termos concursos. De inclusive ter uma reserva para eventuais contratações futuras”, explicou o presidente.

 

INSS tem mais de 23 mil cargos vagos

O atual déficit de pessoal do instituto é de 23.667 servidores efetivos. O quantitativo consta no processo de autorização do concurso enviado à Economia.

Ao mesmo tempo em que não recebe aval do Governo Federal para abrir concursos, o INSS é responsável por atender milhões de segurados da Previdência Social. Porém, não há servidores suficientes para o expressivo número de processos.

Conforme reportagem do UOL, em março do ano passado, 1,282 milhão de pedidos de benefícios dependiam da análise do INSS. Em novembro, a fila havia caído para 1,251 milhão. Os dados são do boletim estatístico da Previdência Social.

A solução encontrada pelo Governo foi investir na transformação digital e na contratação de temporários (aposentados e militares da reserva). Para reduzir a fila e garantir o melhor atendimento à população, especialistas afirmam que o recomendado era realizar o novo concurso INSS.

 

Veja como foi o último concurso INSS

Em 2015, foi realizado o último concurso para técnicos e analistas do INSS. Ao todo, foram oferecidas 950 vagas, sendo o número já considerado inexpressivo diante do déficit de servidores da época

Os candidatos ao cargo de técnico foram submetidos a uma prova objetiva, com 120 questões sobre:

  • Ética no Serviço Público;
  • Regime Jurídico Único;
  • Noções de Direito Constitucional;
  • Noções de Direito Administrativo;
  • Língua Portuguesa;
  • Raciocínio Lógico;
  • Noções de Informática; e
  • Conhecimentos Específicos.

Já os analistas tiveram disciplinas de Português, Raciocínio Lógico, Noções de Informática, Direito Constitucional, Direito Administrativo, Legislação Previdenciária, Legislação da Assistência Social, Saúde do Trabalhador e da Pessoa com Deficiência.


Fonte: https://folhadirigida.com.br
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp